Ainda de Mandetta: MP de Contas acusa Saúde de superfaturamento de consulta virtual

O Ministério Público de Contas acusa o Ministério da Saúde de contratar com sobrepreço serviços de telemedicina durante a pandemia do novo coronavírus, informa o UOL.

No início, segundo o site, o contrato de R$ 26 milhões –sem licitação– previa atendimentos ao preço de R$ 5,80 cada um. Depois, o valor subiu para mais de R$ 20 por consulta, e o contrato chegou a R$ 144 milhões.

“Nunca vi uma manipulação de preço de compra tão descarada”, afirmou ao UOL o procurador Marinus Marsico. A proposta de contratação foi feita em março, ainda na gestão de Luiz Henrique Mandetta.

A empresa contratada, a Topmed, negou sobrepreço no negócio. Procurado, o Ministério da Saúde prometeu esclarecimentos sobre o assunto até amanhã (terça, 12).

O Antagonista