Auxílio emergencial poderá ser mantido após pandemia, diz secretário

Alguns programas adotados durante a crise, como o auxílio emergencial, poderão ser mantidos mesmo após a pandemia, disse nesta segunda-feira o secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos da Costa.

Em live realizada pelo banco BTG Pactual, Costa informou que o governo analisa se as medidas deverão ser temporárias, conforme planejado, ou se é o caso de fazer uma transição para uma nova estrutura econômica.

“Não podemos virar a chave e desligar tudo de uma hora para outra”, disse, referindo-se ao segundo semestre deste ano.

O auxílio emergencial é “extremamente liberal”, afirmou o secretário, na linha do Imposto de Renda negativo. No entanto, se o benefício permanecer, é necessário estudar como mantê-lo. Pode ser feito um “phasing out”, de forma que os auxílios sejam desmontados à medida que entrarem em operação as medidas de recuperação econômica, explicou.