Cirurgiões transplantam um rim de porco em um humano – e funcionou

Um rim crescido em um porco geneticamente alterado parecia funcionar normalmente, potencialmente uma nova fonte para órgãos de transplante desesperadamente necessários.

Cirurgiões em Nova York anexaram com sucesso um rim crescido em um porco geneticamente alterado a um paciente humano e descobriram que o órgão funcionava normalmente, uma descoberta científica que um dia pode render um vasto suprimento de órgãos para pacientes gravemente enfermos.

Embora muitas perguntas ainda não tenham sido respondidas sobre as consequências a longo prazo do transplante, que envolveu um paciente com morte encefálica seguido apenas por 54 horas, especialistas na área disseram que o procedimento representou um marco.

“Precisamos saber mais sobre a longevidade do órgão”, disse o Dr. Dorry Segev, professor de cirurgia de transplante da Escola de Medicina Johns Hopkins, que não esteve envolvido na pesquisa.  No entanto, ele disse: “Este é um grande avanço.  É um grande negócio.

Foto: Dr. Robert Montgomery é diretor do N.Y.U. Langone Transplant Institute em Manhattan.