Deputados fazem relatórios idênticos para justificar viagem a Las Vegas

Os deputados federais fazem viagens frequentes para o exterior sob a alegação de melhorar o desempenho do Legislativo sob a alcunha de “missões oficiais”. E fazem o diabo para justificar gastos que lhes garantam ressarcimentos. Os parlamentares devem fazer relatórios da viagem, mas os documentos são motivo de deboche entre servidores pelo “copia-e-cola”. Expedito Netto (PSD-RO) e Ricardo Izar (PP-SP), foram por nossa conta a Las Vegas, nos Estados Unidos, capital mundial da jogatina, e entregaram relatórios com parágrafos inteiros idênticos. Confira abaixo. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O relato da participação no congresso de moedas digitais e blockchain tem detalhes de almoços e show, mas nada do assunto da viagem.

O passeio dos parlamentares à cidade da jogatina e da esbórnia custou R$ 31 mil entre passagens e diárias, em dólar, ao contribuinte.

Procurados para explicar por que os relatórios são cópias idênticas, os parlamentares não deram retorno até o fechamento da reportagem.

Expedito Netto fez outra viagem, para a Nova Zelândia, sob justificativa de ampliar o conhecimento das políticas indígenas. Custo: R$ 18,2 mil.