Oposição do Sinte volta a fazer acusações contra Fátima Cardoso

fatima-cardosoDesde a semana passada, que a chapa de oposição do Sindicato dos trabalhadores em Educação (Sinte) vez fazendo acusações de que a dirigente sindical Fátima Cargoso estaria fazendo empréstimos irregulares cobrando juros do próprio Sindicato.

A própria Fátima confessou que fez a operação financeira alegando que a estrutura sindical estava passando por dificuldades. A partir daí, a oposição voltou, hoje, por meio de nota a criticá-la e a fazer novas acusações.

Íntegra da acusação feita pela oposição

Depois da denúncia realizada pela Chapa 2 Muda SINTE, Fátima Cardoso, em nota divulgada no Portal no Ar, assumiu que emprestou dinheiro ao SINTE/RN cobrando juros de 7%.

Fátima justifica o empréstimo alegando que o SINTE/RN passava por dificuldades financeiras, mas não deixa claro os motivos que levou o sindicato, que sempre possuiu a maior receita de sindical do RN e que hoje atinge a marca de mais de 10 milhões de reais anuais, necessitasse recorrer as economias de uma simples assalariada.

A dirigente sindical diz: “A carência de recursos econômicos era corriqueira. Isso era tão comum, que não lembro, no momento, quais foram as emergências que fizeram o Sindicato precisar de socorro financeiro.”

É verdade que por motivos de grandes gastos com greves (o que não é o caso do SINTE/RN) ou por ataques dos governos, que atrasam o repasse da contribuição dos sócios, os sindicatos sejam obrigados a solicitar empréstimos financeiros, mas quando isso ocorre a prática de qualquer entidade é solicitar empréstimo a outro sindicato ou as Centrais Sindicais.

E quando há o empréstimo a tradição do movimento sindical é de não cobrar juros.

O SINTE/RN repassa mensalmente R$ 51.055,00 para a CUT e CNTE, entidades em que o SINTE é filiado. Então, por que não se solicitou empréstimos a estas entidades?

Fátima optou por emprestar dinheiro ao SINTE/RN, se beneficiando do dinheiro dos trabalhadores, através da cobrança de juros! Essa prática se assemelha a utilizada por agiotas profissionais.
A cobrança de 7% de juros foi mais rentável para Fátima do que uma aplicação na poupança que gera juros abaixo de 1%.

Não é só através da cobrança de juros de empréstimos que esta dirigente tem se beneficiado. O nepotismo também foi praticado.

Uma cantina em Nova Descoberta, de propriedade do seu pai, fornecia produtos ao SINTE/RN.

O sindicato é situado na Cidade Alta, bairro que possui várias cantinas, mercadinhos e supermercados.

Não tem sentido (a não ser o favorecimento) a compra de produtos em um comércio de familiares.

Portal No Ar

34306070_448309968930097_8791818833963778048_o-188x300