Polícia Operação da PF na Precisa Medicamentos não encontrou documentos de interesse da CPI da Covid

A operação de busca e apreensão da Polícia Federal na sede da Precisa Medicamentos na sexta-feira (17) não encontrou documentos físicos de interesse da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado. Os agentes da PF tampouco apreenderam celulares ou notebooks. O mandado autorizando as diligências foi expedido pelo ministro Dias Toffoli, do STF (Supremo Tribunal Federal), que atendeu uma representação da própria CPI.

O delegado que chefiou a execução das medidas nos escritórios da empresa em Barueri (SP) registrou o resultado das diligências em um termo, a que o Poder360 teve acesso. “Após a realização das buscas, não foram encontrados documentos físicos de interesse da investigação. Foram extraídos dados em meio eletrônico diretamente da rede de computadores da empresa pela PCF com apoio de funcionários de TI da empresa. Foram extraídos documentos de acordo com os parâmetros de pesquisa, tais como diversos tipos de instrumento de contratos e os e-mails da sra. Emanuela Medrades”, escreveu o agente da PF.