Relembrando o Amigo

No dia em que reverenciamos a memória de nossos entes queridos, ofereço aos leitores do Blog de Vlaudey Liberato esse poema escrito para homenagear Mons. Ausônio. Ele fala de lembranças do amor que ele semeou entre nós.

Lembranças
Prof. Berto, poeta e escritor

Te procuraram naquele frio jazigo,
No aziago receio das lembranças,
Mas te encontrei num mar de bonança
E com esperança a Deus bendigo.

Era noite e o vento se curvava de frio
E no silêncio daquele silêncio se ouvia
Uma voz angelical que do alto dizia:
- Ele não mais está nesse lugar sombrio.

Sepultado nas entranhas da terra,
Sua alma, feliz, subiu ao céu,
Saltitando num alegre carrossel
Ao som da canção que a ilusão encerra:

“Sua ilusão entra em campo no estádio vazio
Uma torcida de sonhos aplaude talvez
O velho atleta recorda as jogadas felizes
Mata a saudade no peito driblando a emoção”.

Então, te encontrei na pureza de uma criança,
No homem jovem egresso do Projeto Casulo,
Construindo com fé a grandeza de seu futuro
Sobre a firme rocha do amor e da esperança.

Te encontrei, ainda, no sorriso mais belo
No rosto dos que estão felizes na simplicidade,
Clamando por justiça, paz e verdade,
Na fraternidade com amor puro e singelo.

Te encontrei entre amigos sem jazigos
Convertidos ao amor que brota de Jesus,
A fonte da única e verdadeira luz que reluz
No coração esperançoso de muitos mendigos…

Te encontrei, por fim, no brilho das estrelas,
No luminoso manto da lua cheia,
Na luz forte e celeste daquela candeia
E nos tons suaves de novas aquarelas.

Que saudades eu sinto daquele abraço!
Do teu sorriso tão belo, largo e solto,
Do amor que estava sempre envolto
No homem de Deus e no seu doce apreço.

Jesus sabe que um dia eu quis
Possuir asas para bem alto voar,
Chegar pertinho de dele e perguntar:
Amigo, você está feliz?