Teich desconhecia decisão de Bolsonaro sobre reabertura de academias e salões de beleza

O ministro da Saúde, Nelson Teich, afirmou, nesta segunda-feira (11/05), que não sabia sobre a decisão do presidente Jair Bolsonaro de incluir academias, salões de beleza e barbearias como atividades essenciais à população, o que faz com que possam voltar a funcionar durante a emergência de saúde pública provocada pelo novo coronavírus.

Segundo ele, a decisão não passou pelo Ministério da Saúde. Mas, em tom diplomático, acrescentou que a definição de atividades essenciais, ou seja, que precisam funcionar durante as medidas de isolamento social, é uma atribuição do Ministério da Economia e uma decisão do presidente.

“Se você criar condições para que as pessoas não se exponham a risco de contaminação, pode trabalhar o retorno. Tratar essas atividades como essenciais, é um passo inicial”, afirmou Teich, durante coletiva de imprensa no Palácio do Planalto.

De acordo com o ministro, sendo essa a decisão do presidente, a pasta deve ajudar a desenhar os fluxos de como essa abertura acontecerá. “Mesmo que tenha uma decisão do Ministério da Economia, precisamos participar para que seja feita de forma segura para a sociedade”, disse.

Metrópoles