Com cardeal no banco dos réus, Vaticano começa julgamento de caso milionário de crimes financeiros

Começou nesta terça-feira um dos maiores julgamentos por crimes financeiros da história do Vaticano, que envolve um dos mais influentes cardeais da Santa Sé, além de outros nove réus e uma acusação milionária de desvio de dinheiro.

No centro do caso está a compra de um prédio de 17 mil metros quadrados de área interna em um distrito de alto padrão de Londres, uma operação ordenada em 2014 pelo cardeal Giovanni Angelo Becciu, à época o número dois da Secretaria de Estado do Vaticano e responsável pela administração do Óbolo de São Pedro, um fundo milionário composto por doações de fiéis.

Segundo a denúncia, Becciu usou recursos deste fundo para financiar a compra de 45% da propriedade londrina, ao custo inicial de 200 milhões de euros (R$ 1,22 bilhão). Ao todo, o Vaticano investiu (e perdeu) cerca de 350 milhões de euros (R$ 2,13 bilhões) no empreendimento, incluindo em comissões pagas a intermediários, alguns deles também no banco dos réus.