Extrema direita troca Lula por Moro como principal alvo de ataques

A militância mais fiel do presidente Jair Bolsonaro (PL) vê no ex-presidente “superministro” Sergio Moro (Podemos) uma ameaça de erosão da base eleitoral ao chefe do Executivo.

Desde que Moro se lançou pré-candidato a presidente, o ex-juiz federal virou alvo preferencial dos principais influenciadores digitais da extrema direita, conhecidos por integrar o chamado “gabinete do ódio”, responsável por fustigar nas redes sociais os adversários políticos de Bolsonaro. Nesse movimento, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não foi esquecido, mas perdeu a primazia como alvo dos ataques.