Servidor da Justiça pode denunciar assédio em sigilo

Os trabalhadores da Justiça poderão denunciar os casos de assédio moral, sexual ou preconceito que sofreram de maneira sigilosa. O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aplica, de 22 de novembro a 3 de dezembro, um questionário a todos do quadro de pessoal do Poder Judiciário com o objetivo de conhecer a realidade das unidades de Justiça.

A pesquisa nacional pretende ouvir magistrados(as), servidores(as), estagiários(as) e colaboradores(as) terceirizado(as) em relação a essas violações de direitos.