Ubaldo e Herberth se reúnem com gestores do IFRN para ampliar parcerias em prol das comunidades da zona Leste

Os mandatos do deputado estadual Ubaldo Fernandes (PL) e do vereador de Natal, Herberth Sena (PL), ampliarão parcerias com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) com o intuito de fortalecer a atuação do Campus Natal – Cidade Alta/Unidade Rocas e otimizar ações em prol das comunidades da zona Leste. A definição ocorreu, na manhã desta quarta-feira (13), em reunião dos representantes públicos da região com o reitor Arnóbio Araújo, o diretor geral do campus Natal- Cidade Alta/Unidade Rocas, Ayres Nogueira, o coordenador de Extensão, Jayr Alencar Lima, e o produtor cultural Giovanny Gerolla.

“Fomos convidados a conhecer os conceitos e os projetos futuros do IFRN em benefício das comunidades da zona Leste e saímos daqui com uma noção maior de como é importante esse Instituto para nossa região e vamos trabalhar mais em conjunto”, disse o parlamentar estadual, sugerindo ainda cursos para a comunidade, ligados à pesca, uma vez que 20% da população local vive desta atividade econômica, além de informar que tentaria junto à STTU reuniões para ver a questão da mobilidade urbana com disponibilização de transporte coletivo passando próximo a esta unidade, além de recursos estaduais de sua emenda parlamentar para capeamento asfáltico com o aumento da demanda local e outras iniciativas conjuntas.

Já Herberth destacou que trabalhariam também junto à bancada federal no sentido de alocar recursos para este campus e colocou seu mandato à disposição para ampliar ações em prol da comunidade circunvizinha. Ayres Nogueira apresentou ao Deputado e ao Vereador o histórico do campus Natal- Cidade Alta/Unidade Rocas desde 1909, quando funcionava a Escola de Aprendizes Artífices na Casa do Estudante de Natal chegando a 2016 com o início das atividades pedagógicas e recuperações de espaços nos últimos anos, destacando os 120 servidores existentes para atendimento de cerca de mil estudantes, e adiantando, também, sobre a proposta de que todos os cursos deste campus passem a ser ofertados na unidade Rocas já a partir de 2022.1 (a parte administrativa, assim como eventos e outras áreas funcionarão na Cidade Alta), além de já estarem previstos três novos cursos a partir de 2024.

Fazem parte dos desafios colocados pelos gestores alterar o nome do Campus para um que retrate melhor o contexto onde passará a funcionar completamente o Campus, fazer gestão orçamentária diante das quedas de receitas anualmente, ofertar projetos de pesquisa e extensão, com cursos, eventos e oficinas na área de lazer para a comunidade (cerca de 95% vive em vulnerabilidade social), ampliar equipamentos de práticas, entre outros. Além disso, citaram outros projetos à espera de recursos, como conclusão de pista de skate, construção de piscina, construção de cobertura para garagem dos ônibus institucionais, ampliação do telhado do ginásio, reestruturação do acesso de pedestres ao campus e organização do espaço do Memorial do Trem.

Atualmente, informaram, já desenvolvem alguns projetos de extensão pra se aproximar da comunidade – desde crianças até pessoas idosas (com pausa durante a pandemia, mas momento esse em que, voluntariamente, fizeram distribuição de cestas básicas e outras ações), e já fazem mapeamento das escolas de samba e outras iniciativas culturais da região para mais parcerias e estudam realizar escolinha de futebol, assim como eventos, como o III Encontro de Tambores, Som Potiguar 2022, Arrasta Pé de São João, Colônia de Férias, Escola de Circo e Festival Literário das Rocas (com expectativa de apoios).

0 comentários ↓

Não existe comentários ainda...que tal deixar sua opinião ??

Deixe um comentário